terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Morreu Freddie Hubbard

Toca a todos. Da old-school serão poucos (ou muito poucos) os que restam. Agora é menos um.

Freddie Hubbard, que para além de uma monumental carreira a solo, tocou como sideman ao lado de Herbie Hancock, Coltrane, Rollins, Wayne Shorter, Art Blakey's Jazz Messengers, ou Ornette Coleman deixa assim a lista de sobreviventes dos anos de ouro do jazz.

Obituário na downbeat.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Radiohead: 10 anos de entrevistas

Deverá chegar em Março de 2009 às prateleiras das livrarias de todo o mundo o livro compilando 10 anos de entrevistas dos Radiohead. A mais antiga tem 17 anos, sendo anterior em 2 anos ao lançamento do 1º álbum (os Radiohead existem desde 1986 [belo ano!] tendo lançado apenas em 1993 o Pablo Honey). Infelizmente só vão até ao ano 2000, a época do lançamento do Kid A, deixando de fora três álbuns - mais o álbum a solo do Tom Yorke - e, principalmente, toda a questão do lançamento digital do In Rainbows... De qualquer maneira espera-se um documento rico - tem 215 páginas - e que nos mostre a evolução da banda desde os seus tempos mais remotos em que ainda eram conhecidos por poucos.
O pdf está disponível para download por perto de 4 euros em lulu.com, onde também pode ser encomendada a versão física do livro e consultadas as primeiras 10 páginas.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Rodrigo Leão @ Frágil

Meia-noite de uma sexta-feira no Frágil, Bairro Alto, Lisboa. Rodrigo Leão sobre ao palco diminuto para, em quinteto, dar um concerto intimista para cerca de cinquenta pessoas (das quais eu devia ser o mais novo...). Uma oportunidade única para o ver a um preço convidativo - 5€ comparados com os 30€ que custa sempre que toca no Porto - num ambiente familiar e com a excelência musical do costume.

O seu papel foi relativamente discreto, situando-se como apenas mais uma peça a juntar ao acordeão, violino, viola e violoncelo. Tal se deveu ao alinhamento do concerto, centrado no repertório predominantemente instrumental de Cinema, com duas incursões vocais da acordeonista Celina Piedade - Jeux d'amour e Pasión - e óptimas performances da mesma e da violinista.
Apenas uma hora de concerto... mas que bela hora.

RIP London Astoria

Saiu a notícia de que cai por terra uma das sala mais míticas da Europa. Quem não viu um DVD ou ouviu um álbum gravado no Astoria de Londres? Fala-se de reconstrução mas a verdade é que a sala, como e onde é, vai abaixo.

«Owners of the London Astoria insist its location has a future as a venue, despite confirming its final night, hosted by Ibiza's Manumission club, will take place on January 15.
The concert hall in central London will be demolished to make way for a new railway station as part of the Crossrail project that will install a new line linking the capital's east and west.»

sábado, 27 de dezembro de 2008

Móveis Coloniais de Acaju

Em algum ponto do século XVIII, Índios e Portugueses se uniram para tomar de volta a Ilha do Bananal da Coroa Britânica. A destruição de móveis e cachimbos feitos da madeira acajus mognole deu nome à revolta.


Esta posta vai pro Ska mas pode atingir outros que andem por aí interessados em descobrir este projecto de ska-rock-brasileiro-balcânico em português. Não são só mas também uma versão brasileira do Kusturica, sem deixarem de recorrer a elementos de raíz brasileira ou mais jazzística para produzirem uma interessante amálgama sonora (estranhamente) coesa de ska rock com saxofones. Têm um álbum editado. As letras tem um pendor cómico. O vocalista podia cantar melhor. O seu nome é Móveis Coloniais de Acaju.

Links:
myspace
site oficial
wikipedia (pt)

Universal portuguesa no YouTube

Ah! Finalmente posso ver os vídeos dos Ornatos com qualidade decente. Porquê? Porque encontrei no YouTube um canal da subsidiária portuguesa da Universal com os vídeos em alta qualidade, Dos Pluto aos Ornatos, do Iran Costa à Quadrilha, do Clemente aos Excesso, entre muitos outros. São já 209.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O novo B Flat

«O B Flat, clube de jazz de Matosinhos, vai reabrir a 31 de Dezembro (...) fica na Estação de Passageiros do Porto de Leixões, na Avenida Dr. Antunes Guimarães, Doca 1 Norte, em Leça da Palmeira, junto à ponte móvel.»

Programa da noite e informações in iol música.

Festival Matanças

Qual a ideia de referir um evento que já aconteceu e a que não fui? Não será o de promover ou criticar o movimento anarco-libertário ou o que quer que seja que se passa no Casa Viva, mas o post divulgando o festival «inteiramente dedicado à subversão da época natalícia» mostrou-me no seu cartaz novas denominações de géneros musicais, a saber:

Lost Gorbachevs (jazz anarco satânico)
Cabidela (black metal espectralista)
Morte Shopping (pop dodecafónico)
Brutos da Natureza (new age revolucionário e agressivo)
Besta Bode (psychic death/math shock)

PS: Diz que o Manel Cruz ia participar no concerto dos Morte Shopping (não encontrei myspace...)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

YouTube (é que) rejeita Warner

Quando recentemente desapareceram os vídeos da Warner do YouTube disse-se (blogs, jornais, tv) que a editora teria obrigado o site ao acto... Até aqui, tudo normal e dentro do lógico, se ainda estivéssemos num mundo em que as editoras mandam e o YouTube é visto por elas como um antro de foras-da-lei. Já não estamos (em relação à primeira premissa, pelo menos). No novo mundo, o YouTube (cof Google cof) manda e as editoras remedeiam-se (ou «adaptam-se», dizem elas) e tentam fazer dinheiro com isso. A história acaba sempre da mesma maneira: com ganância. Ou pelo menos assim noticia a Exame Informática aqui.

«Ao que tudo indica, a Warner não estava contente com o valor que recebe de cada vez que um vídeo de um artista seu é visto no YouTube e começou a exigir mais dinheiro. O YouTube, não estando disposto a pagar mais, rompeu negociações e começou a retirar os vídeos, noticia o Cnet.
O prejuízo será maior para a editora do que para o site de partilha (...)»

Praceta Som de Cristal

«A series of streets in Mick Jagger and Keith Richards' childhood town of Dartford, Kent, are to be named after Rolling Stones songs.
Councillors approved the names on Thursday (December 11), with chosen titles including Satisfaction Street, Angie Mews and Ruby Tuesday Drive, reports BBC News.»

Se isto pega moda ainda vamos ter a Rua Sonhos de Menino em Armadouro, a Avenida Favas com Chouriço na Chamusca e a Travessa Mestre da Culinária (ah! trocadilho duplo) em Vila Praia de Âncora.

domingo, 21 de dezembro de 2008

O mundo ao contrário...

... ou uma oportunidade única para os fãs sul-americanos dos Radiohead, que vão poder assistir a um dos sete concertos dos meninos ingleses abertos pelos senhores alemães dos Kraftwerk.

Reveillon Folk


Informações em passagem.rodobalho.com

sábado, 20 de dezembro de 2008

Syd Barrett online

Foi inaugurado recentemente o site dedicado ao fundador dos Pink Floyd: Syd Barrett. Em sydbarrett.com encontramos, entre outros, a inevitável biografia e discografia (a solo e com os Pink Floyd) assim como uma galeria das pinturas de sua autoria. Vale a pena consultar.

Guitar Hero Metallica: o trailer

Isto é tão a next big thing da indústria musical.



PS: Já foi anunciada a edição integral do álbum «Ten» dos Pearl Jam.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

SellaBand

Nem vale a pena começar a falar das lutas das bandas com as editoras ao longo dos tempos. Peguem em todas as coisas que leram e ouviram sobre isso e façam vocês a introdução a este post.

Na busca por apoio para se lançarem, as bandas podem hoje contar com mais esta ideia: SellaBand. Qual o conceito por trás deste site? Cada banda regista um perfil com 3 músicas, fotos e informação. É-lhes atribuído um "passe" que contém 5000 partes, partes essas que podem ser compradas por utilizadores do site ao preço de $10 cada.

Quando todas as partes forem compradas (ou seja, $50.000 de investimento) a banda vai para estúdio gravar o seu álbum, com este dinheiro a servir para pagar as despesas.

O que é que os investidores ganham? Além de um CD promocional da banda em questão, ganham revenue share que varia proporcionalmente ao que foi investido, além de outras vantagens à medida que vão passando determinados limites, chegando mesmo a receber uma viagem de avião para assistir as gravações da banda caso decidam ser MESMO generosos (se comprarem 1000 partes, ou seja $10.000 investidos).

Resta dizer que já 29 bandas conseguiram completar o passe, sendo que várias já lançaram o album e estão a contribuir para o bolso dos investidores (ou, o bolso dos "believers" como lhes chama o site). Há, inclusivamente, uma banda portuguesa entre as mais felizes, que está a gravar neste momento.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Música Planetária

Invariavelmente, as minhas deambulações aleatórias pela wikipedia acabam sempre num de dois cenários: Ou descubro alguma coisa espectacular ou descubro lodo. Desta vez, ainda não me consegui decidir.

Ideia genial deste senhor, Greg Fox, que se lembrou de pegar nos períodos orbitais dos planetas e dividi-los por 2 sucessivamente, até obter uma frequência audível. O resultado é este bela e estranha... música (?) de 64 minutos que pode ser ouvida neste link directo. Para os tarados que quiserem saber mais sobre o assunto está aqui o site.

Concertos e mais concertos

O concerto da No Smoking Orchestra de Emir Kusturica foi o que promete sempre ser: uma festa. Desfilaram temas dos filmes «Gato Preto, Gato Branco» e «A Vida é um Milagre», assim como dos outros álbuns da banda, sempre num ambiente electrizante. O Pavilhão Municipal de Gaia praticamente cheio, o Kusturica de camisola número 10 do fê-quê-pê, as invasões de palco e o incansável Dr. Nelle Karajlic foram os pontos de maior destaque.

No dia seguinte estava no Passos Manuel para assistir ao concerto dos Zelig, integrado no festival Alta Baixa. Já os tinha visto em Barcelos mas aproveitei para rever o jazz sui generis e de grande qualidade musical deste quinteto que, entre guitarras, marimbas e serrotes, me traz à memória o universo zappiano. A sala encheu depressa e o concerto acabou com um quinteto de sopros em palco para a última música, numa junção de claro sucesso.

Já este mês, tive o privilégio de ver a muito poucos metros uma actuação do grande Júlio Pereira. O concerto, integrado na Festa da Poesia, foi na lotada Galeria Municipal da Biblioteca Florbela Espanca, em Matosinhos. Em trio com Miguel Veras (Realejo) na guitarra "acústica" e Sofia Vitória (Operação Triunfo :p) na voz e teclados, apresentou, à semelhança do concerto na Casa da Música em Maio passado, o excelente último álbum «Geografias». De diferente tivemos o ambiente - mais intimista, com mais conversa e mais histórias (tão bom) - e uma versão do tema tradicional La Molinera. De igual tivemos a boa música e a excelente (e bem-disposta) presença do trio.

PS: Três concertos com lotação esgotada... devo estar a ficar mainstream. Voltem concertos com 10 pessoas!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Guitar Hero Metallica

Depois de lançar o álbum «Death Magnetic» inteiro para o jogo Guitar Hero, os Metallica voltam a anunciar uma parceria inédita com o jogo, revelando o crescimento de uma aliança cada vez mais lucrativa entre jogos e música.

«Yes, we know, it's the worst kept secret in rock-n-roll but we're here now to finally confirm that there will indeed be an all-Metallica Guitar Hero game released in the first half (!?) of 2009. (...) Included are 28 Metallica songs along with a few from some of our buddies like as Alice in Chains, the Foo Fighters, Slayer, Machine Head and Queen. (...)»

Jorge & Manel


quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Mash, Mash, Mash... Mash aqui ó Mash-ilhão

Cada década passada tem as sua música característica. O rock n roll dos 70s, o new wave, hair metal, post-punk dos 80s, o grunge e hiphop dos 90s, enfim, vocês estão a ver a cena... Qual é a música característica desta década?

Toda a gente diz que esta é a época do revivalismo e não sei quê, eu sinceramente acho que não é só isso. Nos anos 80 também houve uma explosão de filmes revivalistas dos anos 50 e isso não é razão para se dizer que nos 80s não houve cenas novas.

Acontece que nesta década a imagem de marca tem sido muito mais subtil que cabelos gigantes e camisas de flanela (que Deus as tenha)... Para mim, a marca da década é a grande explosão da produção. Muito por culpa "daquele negócio dos computadores", tem-se registado uma melhoria e uma preocupação cada vez maior com a estética dos albuns, às vezes nem é pelos processos digitais em si, mas com a pirataria e compras online cada vez há mais necessidade em produzir albuns apelativos em vez de dois singles. Longe vão os tempos dos albuns de 16 músicas em que só há duas decentes, e em que boa produção era sinónimo de quartetos de cordas em álbuns rock.

Isto tudo para chegar onde? Ao título do artigo: Mashups!! As mashups podem ser muita coisa, mas o que não são é novidade. Desde que há discos há djs, desde que há djs há misturas e o que é uma mashup senão uma mistura?

O termo mashup em si refere-se a um bicho engraçado que é mais que uma mix para passar na discoteca. Nos anos 90 tínhamos pérolas destas:

Smells Like Booty


Este é o fenómeno das mashups banda1 vs banda2. Pega-se na música de uma banda, acrescenta-se a voz de outra música e *puff* fez-se o Chocapic. Mas não estavamos a falar dos anos 90, pois não?

A internet cresceu, os meios de produção cresceram, o bicho cresceu. Mais que nunca, a música é feita também por quem a trabalha depois da captação de som. E hoje podemos contar com diversas experiências de estúdio de qualidade profissional como as que vou sugerir a seguir:

O conhecido produtor Danger Mouse, uma das caras dos Gnarls Barkley (os génios responsáveis pela melhor pior canção de sempre) e um dos grandes produtores actuais ligado a nomes como Gorillaz e Beck, criou uma das maiores referências no que toca a mashups: The Grey Album, uma mistura bombástica entre o White Album dos Beatles e o Black Album de Jay-Z.

Outro dos nomes associados a mashups é o de Eric Kleptone (não confundir com Eric Clapton :p) também conhecido como The Kleptones, autor de pérolas como Yoshimi Battles the Hip-Hop Robots onde mistura Flaming Lips com música rap ou A Night at the Hip Hopera onde apresenta os Queen a diversos artistas do hip hop. Já agora, o trabalho deste artista está disponível para download gratuíto aqui!

Outro grande nome na "cena" é o de Gregg Gillis, ou Girl Talk. Nos seus álbuns mistura diversas músicas ao mesmo tempo numa sucessão incansável. Uma batida de Radiohead a acompanhar uma melodia de Ace of Base, com a voz da Sinead O'Connor numa montanha russa de samples. As músicas não têm estrutura mas compensam o ouvinte com surpresa de nunca se saber o que vem a seguir. O seu último álbum pode ser descarregado aqui pelo mesmo método usado pelos Radiohead: o utilizador é quem decide o preço.

Deixo ainda mais um link, encontrado pelo Pedro, que ainda não tive tempo para explorar como queria e que contém diversos links de mp3 e albuns completos de mashups.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Ouvir o Som

«A Casa da Música (CdM), no Porto, acolheu (...) a apresentação do livro "Ouvir o Som" ("A Sound Ear II", no original), da autoria da britânica Alison Wright-Read, que aborda os problemas de saúde auditiva a que os profissionais do mundo da música estão expostos.
A obra foi traduzida e editada pela CdM, em colaboração com a área científica de Audiologia da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (ESTSP). Está disponível ao público para download no site da CdM. (...)»

in JPN

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Um mundo catita online

Para quem perdeu algum (ou todos, que isto de ver televisão é demodé) episódio d'Um Mundo Catita, saiba que os pode ver online no site da RTP, publicados à medida que vão sendo transmitidos.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Metallica Sci Fi

O novo vídeo dos Metallica - para a música «All Nightmare Long» - nem precisava da música. A banda não aparece. Mas aparecem zombies e comunistas, num exercício de ficção científica misturando filmagens pseudo-antigas, animação e legendas amarelas. Surpreendeu-me.


domingo, 7 de dezembro de 2008

Regresso do Ermal?

A Blitz avançou a notícia, o manifesto e o blog oficial.

«(...) não haverá mistura de estilos musicais, ficando o género confinado ao rock mais "pesado" (...) Serão convidados artistas de renome nacional e internacional que actuarão no palco principal e artistas em ascensão no palco secundário. A programação terá em conta o público mais maduro, contratando alguns artistas referenciais com 15, 20 ou mais anos de carreira.»

Festival Etnias @ Contagiarte

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Satriani acusa Coldplay de plágio

Haha! Tinha que partilhar isto. O Satriani acusa os Coldplay de plágio. Sim, há semelhanças entre as músicas mas já há muito tempo que deixei de levar a sério estas acusações de cópia. Existe sempre a possibilidade de ao compor uma música se fazer algo com alguns segundos semelhantes a outra música, considerando os milhões de músicas que existem... Além disso, os Coldplay são a melhor banda do Mundo, não precisam de copiar ninguém... A Blitz deu-me a notícia e agora deixo eu para vocês compararem.



PS: Gosto como a evolução dos tempos, da música e da tecnologia também afecta as polémicas. Antes era só processos em tribunal e bocas nas notícias, agora surgem mashups (muito mal feito, mas conta a intenção) das duas músicas. Pode ser que ajude o juíz.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Os papás dos rockers



Sigam as related images desta foto para encontrarem muitos mais músicos dos 70's com o paizinho e a mãezinha.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Xmas Rock Fest 08

Dia 19 de Dezembro às 21.30 em Penafiel:


Há uns anos, tive a honra de estar envolvido na organização de um concerto natalício lá na terrinha (Penafiel). Na altura era um pretexto para tocar com a minha banda e dar uns saltos. Mudam-se os tempos, não se mudam as vontades. O resto da malta continuou a organizar o evento, cada vez com mais qualidade, melhores bandas, melhor som, mas sempre com a mesma atitude: o importante nunca foram os grandes nomes mas sim estar com o pessoal e curtir os concertos fosse a música qual fosse.

Este ano sublinho do alinhamento duas bandas (ambas de Coimbra) que já deram concertos brutais em Penafiel: os d3ö (rock n' roll que dispensa apresentações), e os Fitacola, banda punk que está associada ao início do próprio festival e que lançou há pouco o seu primeiro LP.

Ainda All Against the World (HC), Bulota (Rock) e Bahal, contando ainda com a a Equipa Atómica Maradona Megamix a tomar conta do som sistema.

Apareçam, tragam os 3.5 aerios e muito calor humano!

Sport Clube Leiria e Marrazes

A notícia já não é nova mas não deixa de ser interessante assistir ao patrocínio inédito de uma banda (com o apoio da editora Rastilho) a um clube de futebol. Neste caso, ao Sport Clube Leiria e Marrazes (na foto), ex-clube de dois dos membros dos The Allstar Project.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Nova fornada do tempo do vinil

Não há duas sem três. Depois de duas fornadas de edições Do Tempo do Vinil, em que tivemos o prazer de ver editadas verdadeiras relíquias da música portuguesa, eis que chega em Novembro nova série de edições.

São eles Eu Tão Só - Integral vol. 1 do Conjunto Académico João Paulo, Perto de Ti de Lena d'Água, Essência - Os Anos Valentim de Carvalho de Né Ladeiras e Roquivários dos Roquivários.

sábado, 29 de novembro de 2008

Dossier Guitarra Portuguesa

«Um dos trabalhos que mais prazer me deu fazer durante os meus muitos anos de BLITZ foi este dossier sobre a Guitarra Portuguesa, em finais de 2004» diz o autor do blog Raízes e Antenas, a propósito do muito interessante dossier sobre Guitarra Portuguesa. Leiam os vários fascículos para uma visão abrangente do percurso do instrumento na música portuguesa, desde as suas origens até ao panorama actual (de 2004).

Parte I | Parte II | Parte III | Parte IV | Parte V


PS: aproveitando o contexto, deixo como sugestão a minha mais recente descoberta: Filipe Lucas e a sua guitarra portuguesa de 14 cordas (myspace).

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A Melhor Banda Metal do Momento em Portugal

Os Protest the Hero vão estar em Lisboa no dia 15 de Março de 2009, muito bem acompanhados por The Human Abstract e The Chariot segundo esta fonte no myspace dos tHA.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Encontro manhoso

«No próximo dia 3 de Dezembro acontece no Passos Manuel, no Porto, um bizarro e emocionante encontro. A/os F.R.I.C.S. - Fanfarra Recreativa e Improvisada Colher de Sopa convida José Cid, o senhor que assinou o mítico 10000 mil anos depois entre Vénus e Marte para um concerto.
A F.R.I.C.S. é uma estrutura que agrega músicos oriundos de diversas áreas estéticas numa "mini-big band" de jazz e improvisação (...)»

in bodyspace.net

Virá daqui algo de interessante? Fiquei curioso.

edit: Também vai estar por lá o Manel Cruz. Informações aqui.

Video Games Live


«O Campo Pequeno, em Lisboa, vai receber a 6 e 7 de Dezembro o evento Video Games Live, um espectáculo multimédia que contará com música de videojogos tocada pela orquestra Sinfonietta de Lisboa.
Entre outros, passam pelos instrumentos da orquestra os temas de clássicos como Pac-Man, Sonic, Super Mário, Tetris ou Space Invaders e de jogos bem populares, como Tomb Raider, Splinter Cell, Guitar Hero ou Harry Potter.»

Mais info na notícia da Blitz.

Muitas breves de Novembro

- Katia Guerreiro apresenta o seu novo álbum «Fado» num concerto de entrada livre no Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto no próximo sábado às 21h30

- D'a trompa vem-nos um mapa de salas de concertos, o anúncio do lançamento do CD da iniciativa de solidariedade UPA (Unidos Para Ajudar) que nos foi trazendo colaborações de artistas da nossa praça nos últimos meses, e uma secção em constante actualização com ligação a todas as editoras nacionais

- A Dr. Pepper está a ter dificuldades em cumprir a promessa de oferecer uma bebida da marca grátis a todos os americanos no caso do álbum dos Guns N' Roses ser finalmente editado em 2008

- O lançamento do aguardado DVD dos Moonspell foi adiado para 9 de Dezembro

- Matthew Bellamy fala numa composição de três faixas - «mais uma sinfonia do que uma canção» para o próximo álbum dos Muse

- Diz-se que o próximo álbum dos U2 vai reinventar o rock e que virá em 2009. Bono vai lançar uma revista de música online com inéditos de vários artistas e de nome RED(WIRE).

- A diva folk galega Uxía vai estar sábado em Gulpilhares com bilhetes a 14€

- O guitolão vai ser apresentado como o novo instrumento português, concluindo finalmente a ideia original de Carlos Paredes de ter uma guitarra portuguesa barítono

- A música Red Barchetta dos Rush marca presença na lista feita pela Wired das 10 melhores músicas sobre carros

- Damon Albarn confirmou para 2009 o regresso dos Blur aos ensaios com o guitarrista Graham Coxon

- Rouxinol Faduncho tem um novo álbum, e de Natal!

8bit-mania 4

Volta a minha rubrica favorita aqui no blog. Desta vez, venho falar ao leitor de um submundo que felizmente continua bem vivo. Mas já lá vamos... Para já vamos voltar uns anos atrás:

*** O SEGUINTE TRECHO REPRESENTA UM TRABALHO DE FICÇÃO E NÃO DEVE SER LEVADO A SÉRIO ***

Era uma vez, três porquinhos que viviam muito felizes num reino muito longe daqui, no tempo em que os animais falavam (anos oitenta). Um dia, os porquinhos tiveram uma ideia, porque é isso que fazem os porquinhos quando não estão a comer lavagem ou a chafurdar na lama, ou a mamar nas tetinhas da mãe porca (com todo o respeito). Um dos porquinhos, o mais novo, comprou uma Commodore 64. O do meio, comprou um ZX Spectrum e o terceiro e mais velho dos porquinhos comprou um Atari ST. O quarto porquinho foi levar uma cestinha de medicamentos à avozinha e nunca mais ninguém o viu.

Os três porquinhos gostavam muito de programar nos seus computadores diferentes mas, como a mãe porca não tinha dinheiro para comprar jogos para os filhos, os porquinhos começaram a copiar e crackar jogos e trocar com os amigos.

CUIDADO CRIANÇADA! Copiar jogos e outra propriedade intelectual (como música) é pirataria e é pior que roubar, só que quando se rouba o produto deixa de estar lá para ser vendido e quando se copia só se replica o objecto em questão. É complicado, o mundo dos adultos, falem com o vosso advogado.

Alguns jogos que os porquinhos copiavam vinham com umas mensagens engraçadas dos crackers quando se ligavam os computadores. No inicio apenas diziam os nomes das equipas, mas com o passar do tempo tudo ficou mais rebuscado, chegando mesmo a incluir música e gráficos complexos melhores que os jogos em si.

Os porquinhos estavam maravilhados. E decidiram começar eles também a brincar com os códigos. Alguns anos depois eram parte da "cena".

*** FIM DO TRECHO DE FICÇÃO ***

A "cena" de que este popular conto infantil nos fala é a demoscene. Nos loucos anos oitenta havia mega eventos onde artistas de diversas demoparties se juntavam para mostrar as suas habilidades de programação, de criação de vídeo e música, as primeiras competições de conteúdos multimédia de sempre.

As "intros" que inicialmente apenas serviam como publicidade de uma determinada equipa de crackers rapidamente se transformaram em "demos" ou demonstrações artísticas de programação.

Nos anos oitenta havia pouca opção no que toca a potencialidades de cada máquina. Tudo se baseava na capacidade artística e de programação do criador. Hoje em dia de modo a que isso continue a acontecer limitam-se os recursos dos programadores.

E isto agora é só paleio? Nem pensar. Aqui vão uns exemplos fresquinhos do tubias:

Uma demo c64 que curti:
Mathematica by Reflex


E uma de ZX Spectrum:
Noumenon

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Qual a utilidade da Wikipetia versão pt?

Qualquer pessoa sabe para que serve a wikipedia: obtenção rápida e imediata de informações fúteis e sem utilidade sobre música/bandas, filmes, séries, enfim, cultura popular de uma forma geral, logo, à primeira vista, o título é um bocado parvo.

Claro que isso é na versão inglesa; na versão pt.wikipedia, o caso pia mais fino; aparentemente, há um esquilo maluco encarregue de tratar de todas as páginas das bandas.

Vejamos um par de casos:


The Gift - O caso destes gajos é engraçado. Curiosamente, aquilo que aparece na biografia oficial do site da banda, é o mesmo texto da sua página na wikipedia. A sério, até o erro tipográfico que atribui as vozes da banda a uma mulher está lá copiado. E nem um agradecimento se vê ao pobre do esquilo trabalhador... Por outro lado também não aparece referido em lado nenhum a altura em que ganharam o prémio MTV e o vocalista agradeceu "Porra, já era hora, estava a ver que não. Até parece que não somos a melhor banda do mundo mundial. Ainda vou ter de me levantar para ir aí buscar, ou vão fazer finalmente uma estátua em nossa honra?"

Pedro Abrunhosa - Outro cuja página consiste numa biografia extensa, na qual se inclui qualquer coisa do estilo (citando de cor) "inventou a música, que depois exportou para os estados unidos, onde fundou um movimento chamado JAZZ", "aceita a participação de Maceo Parker no seu disco de estreia, só por pura caridade e generosidade", ou "ensinou o Mourinho a treinar futebol".

Agora a sério, nessa página diz esta pérola:

"Claramente um rosto de um intelecto superior, a sua capacidade de captação do mundo, tornam-no num criativo que vive o seu génio dependente do que ama, como a cidade do Porto. Canções como o Barco para a Afurada, retornam uma nostalgia única revelando a sua imensa vertente poética. Alvo de um sucesso esmagador de um pais algo parado no tempo nos anos 90, hoje é um prisioneiro do que vende e do seu génio, criando e compondo até hoje."

Esqueceram-se só de adicionar que ele sofre de um síndorme de excesso de modéstia, comparável apenas com o vocalista de coldplay.

Há ainda a vertente concorrente que consiste em poupar palavras e ceder apenas as informações básicas, como é caso a página dos Cool Hipnoise, que diz qualquer coisa como:

"Os cool hipnoise são uma banda. Fim."

Urge fazer algo pela pt.wikipedia. Esquilos de todo o mundo, uni-vos!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Música, Net & Blogs

O maestro d'a trompa foi-nos deixando ao longo dos últimos dias «30 dicas orientadas para um melhor aproveitamento da Internet e da blogosfera, em particular, como plataforma de comunicação e promoção de músicos e bandas». Recomenda-se a leitura ao pessoal das bandas.

Parte I | Parte II | Parte III | Parte IV | Parte V

Parte VI | Parte VII | Parte VIII | Parte IX | Parte X

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Rock português em BD

«Apresentada na recente Feira de Banda Desenhada da Amadora, a colecção de livros ilustrados dedicada ao pop-rock português contempla nomes como Jorge Palma, António Variações, José Cid, GNR, Pop Dell'Arte e Sérgio Godinho.»

in Blitz (notícia e capas)

Percursos da Música Portuguesa

«Série de 14 programas, cada um com a duração de cerca de 30 minutos. Uma abordagem panorâmica da música erudita portuguesa desde o século XII até à actualidade, conduzida pelo maestro Jorge Matta. Cada programa foca uma época, um género, um compositor, ou um local, e utiliza sempre intérpretes especializados na época e na música executada, de entre os melhores que vivem ou actuam regularmente em Portugal.»

Sábados na RTP2. Mais informações aqui.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Aquilo que eu mais gosto na candonga?

Quando os bilhetes não esgotam. É vê-los cá fora desesperados, a tentar despachar bilhetes a torto e a direito e a tentar atenuar o prejuízo.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Só mais dois anos...

... e o Mundo respirará de alívio (mas a RFM manterá a recordação bem viva)!

«Tenho agora 31 anos e acho que as bandas não deviam continuar depois dos 33. Estamos a tentar fazer o máximo possível até ao final do próximo ano, em todos os sentidos. Não acredito em 'pausas'.», disse sabiamente Chris Martins dos Coldplay.

Sem bilhete para Kusturica e sem programa para sexta-feira à noite?

Os Urban Technic vão estar no Uptown (na Rua do Breyner) a apresentar a maquete de estreia. Entrada a 4 € com oferta da própria maquete. Participação também de Reverse.

Sexta, dia 21, a partir das 22 horas.

Segue-se divulgação pelo círculo "fnac's".


EDIT - Afinal o concerto foi cancelado. Não há mais informações disponíveis, apenas se sabe que continua marcada a "tournée fnac".

Late Night with...

Fala-se por que «os Roots anunciaram que vão deixar os concertos e as digressões para se transformarem a banda do Late Night with Jimmy Fallon. Se o nome do programa parece o nome do programa de Conan O'Brien, é porque é mesmo. Conan O'Brien vai para a Califórnia apresentar o Tonight Show em substituição de Jay Leno. Começa dia 1 de Maio. Logo a seguir Jimmy Fallon, que ficou famoso no programa Saturday Night Live, entra para apresentar Late Night. Um dos produtores de Late Night é Lorne Michaels, o criador de Saturday Night Live e um dos empregos de O'Brien pré-Late Night era como argumentista desse programa. E os Roots vão estar lá, provavelmente com ?uestlove a fazer o papel de Max Weinberg.»

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

No próximo dia dos namorados...

...dá-se o regresso aos concertos de Manel Cruz (Foge Foge Bandido), no Festival para Gente Sentada em Santa Maria da Feira, segundo notícia da Blitz.

Natal Super Bock

Já cá faltava um álbum de Natal com bandas portuguesas! A Brand it desenvolveu para a Super Bock uma compilação com os temas festivos mais célebres interpretados por nove artistas portugueses. O álbum pode ser ouvido aqui. Segue-se o alinhamento:

01. Ana Deus e Alexandre Soares – The Twelve Days of Christmas
02. Madame Godard – Jingle Bells
03. Stowaways – Hark! The Herald Angels Sing
04. Couple Coffee – O little Town of Bethlehem
05. Old Jerusalem – Good King Wenceslas
06. Coldfinger – God Rest Ye Merry Gentelmen
07. You Should Go Ahead – Deck the Halls
08. Olga – O Christmas Tree
09. Os Tornados – Silent Night

Music Mogul

«Músicos profissionais e amadores vão ganhar um novo endereço especializado: (...) um mundo virtual que permite criar espaços próprios para músicos e bandas.
Além dos tradicionais avatares personalizáveis, a Music Mogul vai permitir a distribuir jogos, músicas ou vídeos de actuações em palco ou em estúdio. O serviço básico vai ser gratuito, mas os mentores do Music Mogul prevêem cobrar taxas por ferramentas de personalização de avatares e espaços reservados pelas bandas, bem como pela prestação de serviços e elementos virtuais.
(...)
O Music Mogul vai estrear-se na Internet em versão de demonstração, na última semana de Novembro. Os responsáveis pelo projecto não adiantam quando chegará a versão definitiva.»

in Exame Informática

domingo, 16 de novembro de 2008

Manel Cruz em entrevista

No número 2 da webzine headzum. Boa entrevista e muito melhor que a da Blitz, com conteúdo.

Carnival of Light

«A "lost" Beatles track recorded in 1967 and performed just once in public could finally be released, according to Paul McCartney.
"Carnival of Light" -- a 14-minute experimental track recorded at the height of the Beatles' musical experimentations with psychedelia and inspired by avant-garde composers such as Karlheinz Stockhausen -- has long been considered too adventurous for mainstream audiences.
(...)
McCartney confirmed he still owned the master tapes, adding that he suspected "the time has come for it to get its moment," The Observer reported. "I like it because it's the Beatles free, going off piste," McCartney said.»

Notícia completa aqui.

Documentários em Lisboa

«A Fonoteca Municipal de Lisboa promove em Novembro a quarta edição da Mostra de Filmes Documentários - Imagens sobre Música. Ao todo serão exibidos 12 documentários, com passagem por Angola em obras como Mãe Ju de Inês Gonçalves e Kiluanje Liberdade ou Kuduro, Fogo no Museke , pelos anos 80 dos Heróis do Mar em Brava Dança ou pelo premiado Fados do espanhol Carlos Saura, com Carlos do Carmo, Camané e Chico Buarque.»

Programa completo aqui.

Alta Baixa

Maus Hábitos: Tokonoma (dança); Rui Salgado (live); Lovers & Lollypops Sounsystem (djset)

Passos Manuel: Zelig (live); Nuno Coelho (Djset)

Pitch: Slimmy (live), Bandido$ (djset)

1 Noite, 3 Casas. Passe único de 5€.

O regresso de JP

Diz-se aqui e ali que «JP Simões regressa aos discos em Janeiro de 2009 com um duplo álbum, gravado ao vivo no Teatro São Luiz em Lisboa. O alinhamento percorre dez anos de criação de JP Simões e traz onze inéditos.»

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Rui Reininho a solo

«O Sr. GNR está aí e com novo disco. Companhia das Índias conta com colaborações de artistas como Rodrigo Leão, Paulo Furtado (The Legendarry Tigerman), Armando Teixeira (produção), Slimmy, JP Coimbra (Mesa), Alexandre Soares, Margarida Pinto (Coldfinger) e New Max (Expensive Soul). Se aqui clicarem poderão ouvir o novo tema de Rui Reininho, intitulado "Bem Bom" [sim, a das Doce].»

notícia completa e alinhamento in bodyspace.net

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Espectros Espectrais

Finalmente!!!!!! Os nossos amigos do YouTube começam a ganhar juízo!!

Eu explico-me. Finalmente alguém se lembrou de colocar uma gravação desta peça absolutamente genial:

Prologue, para viola solo, do genial Gérard Grisey.

Esta versão utiliza um especial dispositivo electrónico de reverb, o que acarreta duas consequências: por um lado, obriga o instrumentista a tocar a peça a um andamento bastante mais lento; por outro, torna o carácter da peça incrivelmente fantasmagórico, duplamente espectral...

Notar a afinação - que, em linhas muito muito gerais, resulta directamente da série de harmónicos, pelo que, estando a peça em Mi, o Ré é tocado cerca de 1/6 tom abaixo do temperamento igual, o Sol# cerca de 1/8 tom, o Sib cerca de 1/4 tom, etc.) e a forma da peça! Se há coisa que pode ser irritante nalguma música actual é o desprezo pela forma, pelo sentido narrativo (por vezes, simplesmente o desprezo... pelo sentido...), pela unidade da concepção - ora veja-se aqui, pelo contrário, a clareza, a transparência da forma, a direccionalidade do discurso (clara segmentação em frases melódicas, processos vários de desenvolvimento do material, aumento progressivo de tensão).

A versão original, sem dispositivo electrónico, pode ser encontrada neste CD - hum, isso faz-me lembrar que devia fazer um post sobre esse CD, bem, está prometido....

A peça é longa, o som não é perfeito, já ouvi interpretações melhores, mas vale a pena; donde, cá vai:

Primeira parte:



Segunda parte:

Só para dizer...

É só para dizer que ando a curtir muito The Fiery Furnaces.

Mais uma banda que quando ouvi a primeira vez achei "bah, indie da cena" mas que depois de ouvir os dois primeiros álbuns com atenção tenho a dizer que gostei bastante.
É como ler Saramago: não pode ser uma actividade passiva, acho que é daquelas bandas que ganha quando se presta atenção aos pormenores.

O que mais gostei é a fantástica maneira como fazem a música pop. Umas vezes fazem lembrar os Beatles, outras entram no psicadélico (não o psicadélico do "fazem barulheira", mais na linha do Sr. Syd Barett), mas sempre com muita complexidade nos promenores.

Esta música não espelha todo o nível dos álbuns mas é o que se arranja:

The Fiery Furnaces - Tropical Ice-Land

Primeiro Curso Nacional de Saúde e Bem-Estar para os Músicos

A Universidade de Aveiro (UA) e a Associação Portuguesa de Medicina e Artes do Espectáculo (APMAE) estão a organizar o Primeiro Curso Nacional de Saúde e Bem-Estar para os Músicos, a realizar-se do dia 21 a 23 de Novembro, no Departamento de Comunicação e Arte da instituição.

Este curso destina-se a músicos (cantores, maestros e instrumentistas), estudantes de música, e profissionais da saúde, do ensino e da comunicação social que de algum modo estejam ou queiram vir a estar envolvidos nas artes do espectáculo.


Mais informações no portal cienciahoje.pt

Afinal parece que não

Em fóruns, sites, comentários e becos recônditos da internet, comentava-se nos últimos tempos que a Câmara de Gaia (pelouro da cultura) andava a tentar organizar um festival inovador, cujo palco seria montado... em pleno rio Douro.

Apesar de ser uma ideia... arrojada (o mais próximo disso que há é o Porto Rio que funciona num barco ancorado na margem do Porto), parece que vai ficar em águas de bacalhau. Um contacto com o pelouro da cultura garantiu-nos que apesar de se ter efectivamente pensado na ideia, esta acabou por não ir para a frente, uma vez que não houve planos concretos, soluções ou financiamento (a crise também não ajuda).

Mas era engraçado ou não?

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Da Garagem II

Depois do rock'n'roll com garra, o pop/rock dos 80's.

The Other Side
- banda de Castelo de Paiva com que me cruzei na altura em que promoviam o seu EP. Praticam um som que eles próprios descrevem, sem pudores, como 80´s Rock influenced by Joy Division, Peter Murphy and Nick Cave & The Bad Seeds. Conseguiram um contrato com a Rastilho Records - que publica alguns dos nomes mais sonantes do panorama alternativo recente português - para editarem o seu primeiro LP Endless Times.

John is Gone - estes senhores, já aqui felicitados por terem vencido o concurso Rock Rendez Worten, oferecem uma sonoridade similar à das inúmeras bandas revivalistas dos 80's que têm assolado o planeta musical dos últimos 3 anos, principalmente os Interpol. Espere-se ouvir os recursos típicos do estilo.

Álbum de Teresa Salgueiro em 2009

«Teresa Salgueiro está a preparar o seu novo trabalho em conjunto com o Lusitânia Ensemble sob a direcção musical de Jorge Varrecoso Gonçalves.
O projecto intitulado Matriz será lançado no início de 2009 e conta já com uma digressão em Fevereiro por terras espanholas.
Matriz fará um percurso pela música portuguesa, do período medieval ao presente. Iniciando-se na Música Antiga, passando pela Música Popular, Tradicional, Fado, culminando em autores como Fausto, Fernando Lopes Graça e Carlos Paredes.»

retirado do myspace da cantora

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

É já hoje à noite

A Casa da Música apresenta hoje a Matthew Herbert Big Band. Estreia em palcos nacionais do novo trabalho "There's Me and There's You".

Se ainda houver bilhetes, façam como eu fiz: deixem-se convencer e comprem um. Se não houver... lamento.

Às 22 horas, na sala Guilhermina Suggia.

sábado, 8 de novembro de 2008

Zeppelin without Plant?

1. Don't get anyone who sounds like Plant.
2. Don't call it Led Zeppelin.
3. Don't fast-track it.
4. If this tour does happen, focus on the new album, not Zeppelin material.
5. Keep tickets under $50.

Gostei de ler a crónica de Todd Martens no Los Angeles Times intitulada Zeppelin without Plant? Five ways to avert a disaster.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Da Garagem I

Este post inicia uma série intitulada «Da Garagem» onde apresentarei, de forma bastante sintética, algumas bandas mais "pequenas" com que me fui cruzando, quer pessoalmente, quer pelas internetes, e que acho valorosas. No sentido de uma esclarecimento mais imediato serão usadas amíude comparações com nomes mais sonantes do panorama musical, apesar de tal recurso não ser muito do meu agrado. Estejam os companheiros inarmónicos à vontade de trazerem as suas próprias sugestões para cima da mesa.


Fading Commission - já aqui referido, este quarteto do Porto entrega nas suas actuações uma dose considerável de energia e rijeza no seu rock poderoso de cruzamento entre o blusão de cabedal do Iommi e o chapéu do Slash. Destaco o tema «Be a Woman» presente na maquete do grupo e o «Temptations», em escuta no myspace e a estar presente no primeiro LP da banda.

The Happy Mothers - fundados a partir das cinzas dos Inside Suicide, que tinham já marcado presença em vários concursos da cidade invicta e editado a sua demo-EP Six Steps to Insanity («Sick Me» é o meu tema preferido), entregavam e continuam a entregar um rock forte, com atributos de grunge e do rock mais "clássico", como Nirvana e Velvet Revolver. Lançaram este ano o seu primeiro LP: Universal Eye From the Alley.

iTunes rant

Não podia ser mais acutilante o artigo de Scott Gilbertson no webmonkey.com intitulado The Top Ten Reasons iTunes Sucks.

Pwnd!

MTV got RickRolled.

Os Geeks de todo o mundo fartaram-se da geração Morangos-com-açúcar/Tokio-hotel e decidiram dar umas palmadinhas nas nalgas do histórico canal de música. Erh, do histórico canal de videoclip... ok, do histórico canal de reality shows.

Suficiente dizer que o número de votos ultrapassou o número de habitantes da Europa.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Converse Pink Floyd


Sim, são as novas Converse inspiradas no artwork de três grandes álbuns dos gigantes Pink Floyd: Dark Side of The Moon, Wish You Were Here e Animals. Lançamento previsto para Março de 2009 nos EUA e nos internetes (www.converse.com).

«Iconic band graphics and visuals inspire this unique collection of Converse shoe designs "celebrating pioneering bands that disrupted the status-quo and changed music forever".» Fala-se também dos The Who e do Ozzy.

Mais info aqui.

Rock Rendez Worten

Parabéns (atrasados) aos John Is Gone pela vitória no Rock Rendez Worten, o concurso mais polémico dos últimos tempos. Entre imensas bandas que desistiram de participar na final devido a um contrato polémico e a troca de galhardetes, ficam os links para quem não seguiu a novela e quiser saber.

Links:
myspace dos John Is Gone
lista de vencedores
site oficial
"organização acusada de má fé"
"o contrato da discórdia"
"organização defende-se das críticas"

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

França aperta cerco ao P2P

Vamos ver onde isto vai parar...

«O Senado francês aprovou ontem uma lei que permite proibir o acesso à Internet a pessoas que sejam apanhadas a partilhar ilegalmente ficheiros. Os piratas vão receber cartas de aviso e, à terceira vez, o fornecedor de Internet poderá vedar o acesso. Vai também ser criado um organismo governamental para supervisionar medidas anti-pirataria. A lei foi proposta pelo presidente francês, Nicholas Sarkozy, já foi aprovada pelo Senado (297 votos a favor e 15 contra) e falta agora ser aprovada pela Assembleia, para poder ser implementada.
A União Europeia proibiu este tipo de medidas, por considerá-la violação das «liberdades civis e dos direitos humanos». Em Itália, recentemente foi aprovada uma lei que legaliza a partilha peer to peer.
Nos EUA, está a ser estudada a possibilidade de as autoridades na fronteira poderem destruir e apreender leitores de MP3 e computadores portáteis suspeitos de terem material pirateado.»

in Exame Informática

Super Bock em Stock

Esclareceu-se o mistério à volta do anunciado novo festival: o Super Bock em Stock trará, segundo a promotora Música no Coração, «duas grandes noites e mais de 20 dos mais estimulantes projectos musicais da actualidade».

« (...) nos próximos dias 3 e 4 de Dezembro, passarão pelo São Jorge, Tivoli, Teatro Variedades e Cabaré Maxime artistas como Santogold, The Walkmen, Jack Rose, José James, Lykke Li, Marcelo Camelo, Norberto Lobo, Caravan Palace, Peixe : Avião, X-Wife, Zita Swoon e Rui Reininho, entre outros.
O bilhete para os dois dias custa 40 euros e o conceito do evento passa por fazer do final do ano uma época cheia de concertos, ao invés da "época baixa" dos espectáculos.» (in Blitz)

Mais informação e cartaz actualizado no Blitz, Bodyspace, IOL Música e site oficial.


PS: Não fosse ser em Lisboa e bilhete único de €40 e aproveitava para ver o Marcelo Camelo.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Jorge Palma em DVD

Vem aí o primeiro DVD da carreira de Jorge Palma, dia 17 de Novembro (info aqui). Segue-se o alinhamento:

1. Rosa branca
2. Dormia tão sossegada
3. Tempo dos assassinos
4. Voo nocturno
5. Só
6. Vermelho redundante
7. Quarteto da corda
8. Escuridão (vai por mim)
9. Disse fêmea
10. Norte (o meu)
11. Olá (cá estamos nós outra vez)
12. Abrir o sinal
13. Encosta-te a mim
14. Frágil (I)
15. Casa do Capitão
16. Finalmente a sós
17. A Gente vai continuar

NIN - The Slip

Cada vez há menos dúvidas da influência mais ou menos directa do modelo de venda do «In Rainbows» no surgimento de iniciativas de disponibilização gratuita de música. Já no passado tinha havido pistas do que poderia vir a surgir, com a venda de músicas apenas em formato digital ou a oferta de singles, mas nunca uma operação como a que assistimos há já mais de um ano. O mesmo se observa na disponibilização do último álbum saído da mente de Trent Reznor, disponível para download desde Maio (aqui). Não gostei do álbum porque os ambiente dos Nine Inch Nails nunca me seduziram, mas não deixo de reparar com agrado a quantidade de formatos em que é oferecido o download. Com o avanço tecnológico caminhamos para uma oferta cada vez mais diversificada em que a compra pela internet não é necessariamente sinónimo de ficheiros com fraca qualidade (longe vão os tempos dos downloads de mp3 a 96kbp/s) ou cheios de protecções manhosas a la DRM.

O álbum está então disponível em formato MP3 (87MB, encoding LAME), FLAC lossless (259MB), FLAC high-definition 24/96 (942MB), M4A apple lossless (263MB), high definition WAVE 24/96 (1,5GB). Tudo DRM-free!

E sim, também existe versão física CD/DVD/Vinil.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Os falhanços da DRM

«Thank God for DRM. Without it, the internet would be a cesspool of illegally pirated music, movies and software. Oh, wait, the internet totally is that, because DRM is, quite possibly, the most pointless innovation of the digital age. Companies spend millions of dollars each year coming up with new ways to protect their online content just to see some fifteen year old kid figure out how to circumvent it. Repeat as needed.
But DRM isn't just an exercise in futility. When you absolutely, positively, must anger every customer you have, few weapons are better than DRM. Take these shenanigans, for example...»

Não podia deixar de referir este artigo muito interessante e num tom cómico-ridículo intitulado 5 Biggest Music DRM Debacles of All Time.

16 mil videoclips online

Eu a dizer bem da MTV? Pois parece que sim! Para compensar o facto de ser cada vez mais um canal de reality shows com música nos intervalos, temos agora a possibilidade de ver cerca de 16 mil vídeos no site MTVMusic.com. Encontramos toda a videografia do canal, desde os esperados tele-discos a entrevistas, mini-documentários, e até programas como o «MTV Unplugged» ou o «VH1 Storytellers». Não tem, no entanto, os vídeos portugueses (que passam na MTV Portugal, note-se a diferença).

Em jeito de adenda, deixo o link para uma notícia que avança como a MTV tenciona ganhar dinheiro com a pirataria no MySpace.

Kraak & Smaak

O vídeo é um espectáculo para quem gosta de flip books.


domingo, 2 de novembro de 2008

Casa da Música em 2009

Algumas novidades avançadas aqui e aqui:

- o Brasil foi o país escolhido para tema do próximo ano.

- Tindersticks confirmados para o Clubbing de Fevereiro.

- «concerto Imaginação ao Poder, a 2 de Maio. Realizado no âmbito do ciclo Música e Revolução, o concerto envolve a participação do Remix Ensemble no Clubbing, resultando num cruzamento insólito de estruturas residentes»

- estreia mundial da peça de teatro musical La Douce, de Emmanuel Nunes.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Dez curiosidades floydianas

«1: The most famous roadie ever?
In 1967, Pink Floyd began employing roadie Pete Watts, who rose through the ranks to become their chief sound engineer. Watts can also be heard laughing between tracks on the band’s Dark Side Of The Moon album. He died in 1976. His daughter Naomi accompanied the group on tour as a child, and went on to become a successful model and actress, starring in the movies, 21 Grams and Mulholland Drive.»

Mais em 10 things you probably didn't know about Pink Floyd, a partir do livro «Pigs might fly, the inside story of Pink Floyd» de Mark Blake.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Novo festival?

Será um substituto para o Super Bock Super Rock? Será uma reformulação? Será um novo festival? Não sei, mas promete!

«É já na próxima Terça-feira, 4 de Novembro, que é anunciado, em conferência de imprensa, aquele que é descrito como "o mais inovador evento musical dos últimos anos em Portugal".

Em comunicado, a Música no Coração e a Super Bock garantem que, ao longo de duas noites, os espectadores do evento, ainda por baptizar, irão poder ver "mais de 20 dos mais estimulantes e refrescantes projectos musicais nacionais e internacionais da actualidade".»

in
Blitz

terça-feira, 28 de outubro de 2008

There Will be Blood [2007] OST

Há filmes que nos surpreendem pela positiva. Giro, giro, é quando a surpresa não é o filme em si.

Desde o início de There Will be Blood a minha atenção centrou-se na banda sonora, apesar da sua profunda ligação e complementaridade com a parte visual, e fiquei absolutamente abismado ao vê-la crescer e adensar ao longo do filme, ao ponto de nas melhores cenas (com algumas excepções, a utilização da música não se faz sempre nos mesmos moldes - e ainda bem) dominar por completo a acção.
Quando o filme acabou corri a informar-me sobre a banda sonora, que julguei ser uma compilação, sobretudo por causa da diversidade estilística e técnica - temos desde (perdoem-me os palavrões, eu próprio não gosto de os usar) uma escrita minimal a pós-moderna, para orquestra completa e para quarteto de cordas, com alguns salpicos de electrónica. Acontece que o seu autor (da grande maioria, pelo menos) é o nosso amigo Jonny Greenwood, mais conhecido como guitarrista dos Radiohead, que me parecem cada vez mais um poço sem fundo em termos criativos. Jonny já nao tinha nada para me provar quanto à sua qualidade, mas ouvir tão boa música e bem diferente do que estava habituado representou ainda assim uma enorme surpresa!

Estamos a falar de Música Contemporânea de primeiríssima água, como pouca tenho ouvido vinda de compositores dum meio mais erudito/académico. E podem fazer-lhe festinhas que não morde.

Ah, e o filme era bonzito.

Cansei desta gente

As (os) CSS tocam por estas altura na nossa terra.

Algo que me acita a curiosidade é saber a receptividade do público. Depois do que aconteceu há um par de meses, em que, sendo cabeças de cartaz (e anunciadas como tal) no Alive '08, cancelaram o dito concerto de véspera. Porquê? Porque tinham compromissos publicitários. É... não sei porquê não me pareceu bem jogado.

Já dei anteriormente a minha opinião sobre isso; a questão é que toda a curiosidade que ainda subsistisse se esvaiu no momento em que a guitarrista, em entrevista ao jornal metro (li hoje de manhã no dito cujo, mas online a notícia só está disponível no site da blitz) assumiu que cada concerto é contido, porque "Não podemos queimar toda a energia, porque senão não se consegue aguentar uma tournée".

Basicamente são meninos que cheiram a leitinho, que avisam à partida que não vão deixar a pele em palco, para não se cansarem muito. Por mim tudo bem. Eu também ando meio cansado, por isso fico em casa também.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Porcupine Tree @ Porto

No passado dia 8 assisti ao concerto dos proggers Porcupine Tree no Teatro Sá da Bandeira. A abrir estavam os Pure Reason Revolution, britânicos com um pop/rock com laivos progressivos a beber tanto em Porcupine Tree como em sonoridades mais indie. Este cruzamento, que nem resulta mal em disco, foi extremamente maçador no concerto. Porquê? Porque os Pure Reason Revolution são uma daquelas bandas que quando descobre um recurso interessante a usar na sua música faz questão de o destruir ao usá-lo em todas as suas composições! Neste caso, o interessante colar da voz da vocalista/baixista e do vocalista/guitarrista deixa de o ser ao fim de meia hora de repetição. Se juntarmos a isso uma equalização deficiente e o uso de muitas partes gravadas temos um concerto com alguns bons momentos mas com um tom genericamente mortiço.

Expulsado do meu lugar sentado pelos seguranças do Sá da Bandeira, que entre as duas bandas se lembraram que queriam ter fechado o balcão mas se tinham esquecido, rumei para junto da plateia lotada de fãs à espera da banda da noite. E lá chegou Steven Wilson e companhia, para mais de 2 hora de música e 2 encores, com um alinhamento centrado sobretudo nos últimos três álbuns. Foi um bom concerto, com um desempenho extremamente competente e profissional dos músicos. As músicas do último álbum - «Fear of a Blank Planet», que deve ter sido tocado na íntegra, foram acompanhadas da projecção de vídeos, ajudando à performance.
Não foi um concerto excelente. Sofreu, na minha opinião, por ter recorrido a poucas músicas mais antigas, acabando por andar sempre à volta das mesmas sonoridades, dada a uniformidade entre os três últimos álbuns. Sofreu também pelo constante alternar entre uma música mais pesada - uma balada - uma música mais pesada - uma balada - etc. Concluindo: o concerto teve alguns momentos muito bons, pautando-se no entanto por uma constância que, apesar de ser de elevada qualidade, me deixou a ansiar por algo mais.

Outonalidades'08

Mais um ano, mais uma edição do Outonalidades, o maior circuito português de música ao vivo. A decorrer desde dia 10 de Outubro e seguindo até ao dia 20 de Dezembro, de Tavira a Ferrol (na Galiza) com muita muita música (portuguesa e galega)!

Cliquem no cartaz ou vejam, para mais informações, o folheto electrónico, a lista de bandas e espaços ou o cartaz completo.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Box da Motown

Uma boa notícia para os amantes da Motown:

«Motown will celebrate its 50th anniversary with a mammoth boxed set, "Motown: The Complete No. 1's," due Dec. 9. The 10-disc package features 191 songs, all of which have topped a chart in the United States or internationally.
Naturally, Stevie Wonder, the Supremes, Marvin Gaye, Tammi Terrell, the Four Tops, Martha & the Vandellas, Mary Wells, the Temptations and Gladys Knight & the Pips are represented throughout "The Complete No. 1s.»

Alinhamento completo aqui.

Um Mundo Catita

Finalmente!! Alguém comprou os direitos de transmissão da muito aguardada (por mim) série «Um Mundo Catita»! Salva-nos sempre a RTP2 do desinteresse generalizado das estações de televisão pela produção independente. Para quem não conhece, é uma mini-série de 6 episódios, uma «viagem ao imaginário de Manuel João Vieira, em que os sonhos se misturam com uma cinzenta realidade, e onde seguimos o protagonista numa sucessão de aventuras e desventuras» e com muita música à mistura. Vejam o trailer no site oficial. Promete! Estreia domingo, dia 23, às 23:40 (making of no dia 16).


as minhas coisas favoritas (belo!)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Partilhar a Fúria

Os Muse partilham com os fãs uma música rara (Fury) gravada no Royal Albert Hall num concerto para o Teenage Cancer Trust.

Para fazerem o download gratuito do vídeo da actuação, é só dirigirem-se à secção de downloads do site da banda.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

3 milhões de «In Rainbows»

«In Rainbows , o mais recente álbum dos Radiohead, vendeu 3 milhões de exemplares até à data. A banda revelou finalmente os números relativos às vendas do álbum, aproximadamente um ano depois de ser disponibilizado.
Os 3 milhões incluem os downloads no site oficial, cópias em CD, uma caixa de luxo com dois discos em vinil (que terá vendido 100 mil cópias) e vendas através de lojas digitais, como o iTunes.
Recorde-se que In Rainbows foi disponibilizado pelo preço que o comprador quisesse pagar no site oficial dos Radiohead e só depois começou a ser vendido nas lojas (físicas e digitais).
O registo subiu ao primeiro lugar das tabelas norte-americana e britânica quando saiu em CD e antes já tinha rendido à banda mais dinheiro que o relativo ao total de vendas do antecessor Hail to the Thief

in Blitz

Coral de Letras - Abertas AUDIÇÕES (25 de Outubro)

Esta notícia dirige-se a todos os que gostam de cantar:

- No próximo sábado, 25 de Outubro a partir das 15h, o Coral de Letras da Universidade do Porto realizará audições a todos os interessados, com o objectivo de reforçar o grupo por forma a responder aos projectos em que está envolvido. Para informações mais detalhadas, ver o site.

Relembro que o Coral de Letras está aberto a todos, não tendo que pertencer nem à Faculdade de Letras nem à Universidade do Porto. Se gostas de cantar, aparece!

As audições terão lugar nas instalações do Coral, na Rua dos Bragas (à Faculdade de Direito da Universidade do Porto).


- Amanhã (quarta-feira, dia 22 de Outubro), se sintonizarem a Antena2 pelas 8h 30 (da manhã) poderão ouvir uma pequena entrevista ao Maestro José Luís Borges Coelho, em que, entre outras coisas, se deverá referir a estes projectos e às audições de próximo sábado.

Ficamos à vossa espera!

Dois concertos a não perder!

Destina-se este post a dar conta de dois importantes concertos a decorrer ainda esta semana:

- Quinta-feira, 23 de Outubro, às 21h 30, na Câmara Municipal de Matosinhos, concerto pelo Quarteto de Cordas de Matosinhos, em que, entre outras obras, estreará o Quarteto de Cordas do compositor Fernando Lapa (cf., por exemplo, aqui e aqui).

- Sexta-feira, 24 de Outubro, às 21h, na Casa da Música, concerto comemorativo do 8º Aniversário do Remix Ensemble, em que poderemos ouvir algumas obras para dois ensembles (Remix Ensemble + Musik Fabrik - grupo alemão de música contemporânea). O concerto conta com obras de Birtwistle, Kurtag e Xenakis. Informações mais detalhadas aqui.

Resumindo, a não perder!

Daniel.

Um sonho feito de imagens e sons

Mais um post relacionado com o Ciclo de Cinema sobre Manoel de Oliveira, a decorrer na Fundação de Serralves (cf. aqui).

Refiro-me ao absolutamente extraordinário filme O Convento, exibido na passada terça-feira, 14 de Outubro. A atmosfera do filme é de tal forma sombria, onírica e alucinada que, como alguém disse, depois de vermos o filme não temos bem a certeza se o vimos ou sonhámos. A fotografia e o sentido do enquadramento são, como é habitual em Oliveira, não menos originais do que irrepreensíveis. E quatro actores verdadeiramente alucinados, autênticos espectros movendo-se na tela: John Malkovich, Catherine Deneuve, Luís Miguel Cintra (o melhor dos 4!!!) e Leonor Silveira.

Bem, e perguntam por que razão um post destes num blog sobre música. Por duas razões. Em primeiro lugar, porque esta forma de contar histórias, pelo encantamento que provoca, é essencialmente musical. Depois, porque a música tem um papel essencial no filme, como contraponto da imagem, contribuindo decisivamente para reforçar o seu carácter alucinado - é, de facto, a música que, em boa medida, dá profundidade à imagem, lhe dá relevo, um outro significado. Deixo este pequeno excerto do YouTube, que não deixa adivinhar a história de modo demasiado descarado, mas que pode dar uma ideia do que estou a falar.

(Haveria, aliás, muito a falar sobre a utilização da música em Manoel de Oliveira, numa abordagem tão pessoal quanto a de, por exemplo, Stanley Kubrick ou Andrei Tarkovsky (cf. aqui). Voltarei a este assunto.)

NOTA: Creio que a música é de Sofia Gubaidulina, como a maior parte da banda sonora, mas ainda não consegui confirmar relativamente a esta passagem em particular.



Daniel.